Adeus, mercadinho: apps conectam chineses a produtores e ainda geram renda

Há mais de uma década, o varejo chinês funciona como um posto avançado no mundo, em que novas tecnologias e modelos de negócio aparecem, ganham escala, fazem (muito) dinheiro e, depois, se espalham pelo mundo. Foi assim, por exemplo, com o movimento de nativos digitais abrirem lojas físicas para integrar os canais online e offline, no início da década passada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *